quinta, maio 31, 2018 00:48

Archive for the ‘K’ Category

Kraken

quinta-feira, outubro 4th, 2012

The_Kraken_attacks_by_Chongo_zilla

 

Kraken foi um lendário monstro marinho, em forma de polvo ou lula, que ameaçava e destruía navios nos mares da Noruega e da Islândia. O tamanho colossal e a ferocidade fizeram dele o tornaram um mito, conseqüentemente uma criatura muito requisitada em livros de ficção. A lenda pode ter sido originada de visões de lulas gigantes, que podem atingir 13 metros, incluindo os tentáculos; essas criaturas são raras e normalmente vivem nas profundezas, mas podem ter sido vistas na superfície e reportadas atacando pequenas embarcações. Kraken é o plural de krake, uma palavra de origem escandinava designada a algo insalubre. No alemão moderno, krake pode significar polvo, mas não se refere ao lendário Kraken.
Embora o nome Kraken não apareça nas histórias escandinavas, haviam monstros similares a ele, como o Hafgufa e o Lyngbakr, ambos descritos em Örvar-Odd’s Saga e no texto norueguês de 1250,Konungs skuggsjá. Na primeira edição do livro Sistema Natural, do zoologista Carolus Linnaeus, kraken foi classificado como cefalópode e seu nome científico ficou como Microcosmus, porém foi excluído nas edições seguintes. Kraken, por séculos, foi objeto de estudo, Pontoppidan o descreveu como “do tamanho de uma ilha” e afirmou que o perigo não era ele em si, mas sim a redemoinho que se formava após ele mergulhar rapidamente para o fundo do mar, e inspiração para muitos escritores de ficção, como Júlio Verne, em seu livro Vinte Mil Léguas Submarinas ou em filmes, como o mais atual Piratas do Caribe.

kraken_by_benwootten-d34tl96

Alfred Lord Tennyson, poeta inglês famoso por seus poemas que remetem temas mitológicos, descreveu Kraken da seguinte forma:
“Sob os trovões da superfície, nas profundezas do mar abissal,o kraken dorme sempiterno e sossegado sono sem sonhos.Pálidos reflexos se agitam ao redor de sua forma obscura;vastas esponjas de milenar crescimento e altura se inflam sobre ele,e no fundo da luz enfermiça polvos inumeráveis e enormesagitam com braços gigantescos a verdosa imobilidade desecretas celas e grutas maravilhosas.Jaz ali por séculos e ali continuará adormecido,cevando-se de imensos vermes marinhos,até que o fogo do Juízo Final aqueça o abismo.Então para ser visto por homens e por anjos,rugindo sugirá e morrerá na superfície.”
kraken_attack_by_benwootten-d4qb1uh

 

Maria Madalena

terça-feira, novembro 3rd, 2009

foto-003

 

Maria Madalena (do original em Grego Μαρία ἡ Μαγδαληνή: O nome de Maria Madalena a descreve como sendo natural de Magdala, cidade localizada na costa ocidental do Mar da Galileia.
 É descrita no Novo Testamento como uma das discípulas mais dedicadas de Jesus Cristo. É considerada santa pelas igrejas Católica, Ortodoxa e Anglicana, sendo celebrada no dia 22 de julho.
A Igreja romana, seguindo São Gregório Magno, identifica – a como a “pecadora”.
Novo testamento
Ela acreditava que Jesus Cristo realmente era o Messias. Madalena esteve presente na crucificação e no funeral de Cristo, juntamente com Maria de Nazaré e outras mulheres.
Não há qualquer fundamento bíblico para considerá-la como a prostituta arrependida dos pecados que pediu perdão a Cristo; Também não há nenhuma menção de que tenha sido prostituta. Este episódio é frequentemente identificado com o relato de Lucas 7:36-50, ainda que não seja referido o nome da mulher em causa.
A Igreja
São Gregório Magno comenta que Santa Maria Madalena amava tanto ao Senhor que não se afastava do sepulcro, chorando, sentia saudade daquele que julgava ter sido roubado. Por isso, somente ela o viu, porque somente ela perseverara.
Teoria
Alguns estudiosos narram Maria Madalena como uma apóstola, mulher de Cristo que teve com ele, inclusive, filhos. Nessas narrações, tais fatos teriam sido escondidos por revisionistas cristãos que teriam alterado os Evangelhos.
Estes estudiosos teriam baseado suas afirmações nos Evangelhos Canônicos e nos livros apócrifos do Novo Testamento, além dos escritos gnósticos. Segundo os evangelhos aceitos e selecionados pela Igreja Católica, Jesus Cristo, o suposto “filho de Deus”, não veio à Terra para se casar com uma humana e muito menos ter filhos com ela. Portanto, para os preceitos desta Igreja, Maria Madalena não foi e nem poderia ter sido a esposa de Jesus Cristo.
O fato de Jesus não envergar nenhum cálice – o Graal – poderá levar a interpretações que muitos fanáticos cristãos consideram “flagrantemente abusivas” do ponto de vista histórico e religioso, como acreditar que Maria Madalena é, de facto, o “cálice sagrado” onde repousa o “sangue de Cristo” ou seja, que ela estaria grávida de Jesus Cristo.
Praticamente todos os teólogos cristãos consideram inaceitável tal argumento. Para eles Leonardo da Vinci se inspirou no Evangelho de João (no texto João 21:20) em que se fala do discípulo amado – que seria o próprio apóstolo João – e não propriamente nas passagens referentes à instituição da Última Ceia.
Outros estudiosos consideram a teoria válida, afirmando uma vez que a própria existência de Jesus Cristo não está comprovada até hoje, e que qualquer hipótese relativa a tão obscuras e confusas tradições e escritos pode ser levada em consideração para análises à luz indispensável da Ciência.
O mito
A face feminina de Deus, como foi Ísis e Eurídice, a representação da Sofia grega, que Pitágoras e Parmênides encaravam como a uma deusa é representada por Maria Madalena.
Não basta aceitar e declarar a união espiritual da Madalena e de Jesus. É necessário reconhecer o papel arquetípico da sua união, uma união sagrada, que também ocorreu no plano físico.
Maria Madalena era mulher de Jesus. Apesar de não existir nenhuma prova concreta, essa teoria não é vaga.
Santa Ceia de Juan de Juanes
Evangelho Segundo Felipe – Livro rejeitado no Conselho de Niceia

“E a companheira do salvador, é Maria Madalena.Cristo a amava mais do que todos os seus discípulos. E costumava beija-la com frequência.”

Na época a palavra companheira significava esposa.
Evangelho de Maria Madalena
O Evangelho de Maria Madalena traz uma nova interpretação de quem teria sido Maria de Madalena. Segundo este evangelho, ela teria sido uma discípula de suma importância à qual Jesus teria confidenciado informações que não teria passado aos outros discípulos, sendo por isso questionada por Pedro e André. Ela surge ali como confidente de Jesus, alguém, portanto, mais próximo de Jesus do que os demais.
Trechos do Evangelho de Maria Madalena:

“O apego à matéria gera uma paixão contra a natureza. É então que nasce a perturbação em todo o corpo; É por isso que eu vos digo: Estejais em harmonia… Se sois desregrados, inspirai-vos em representações de vossa verdadeira natureza. Que aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça. Após ter dito aquilo, o Bem-aventurado saudou-os a todos dizendo: Paz a vós – que minha Paz seja gerada e se complete em vós! Velai para que ninguém vos engane dizendo: Ei-lo aqui. Ei-lo lá. Porque é em vosso interior que está o Filho do Homem; ide a Ele: aqueles que o procuram o encontram. Em marcha! Anunciai o Evangelho do Reino.”“Pedro disse: “O Salvador realmente falou com uma mulher sem nosso conhecimento? Devemos nos voltar e escutar essa mulher? Ele a preferiu a nós?” E Levi respondeu: “Pedro, você sempre foi precipitado. Agora te vejo lutando contra a mulher como a um adversário. Se o Salvador a tornou digna, quem és tu para rejeitá-la? Certamente o Salvador a conhece muito bem. Foi por isso a amou mais que ama a nós”.

O Santo Graal
Do inglês medieval: Sangreal.
Separando em duas palavras: Sang Real.
Ou seja, Quando a lenda falava do cálice com o sangue de Cristo, ela dizia do sangue de um ventre feminino, que levava a linhagem do sangue real de Jesus. Acredita-se então que o Santo Graal seria o ventre de Maria Madalena, onde poderia estar gravida. Porém, não há fatos exatamente concretos a respeito disso.
Levando-se em conta deste fato, este é o maior segredo da humanidade em que se oculta até hoje pela igreja.