sexta, junho 01, 2018 12:27

Archive for the ‘EUA’ Category

Uktena

segunda-feira, Fevereiro 2nd, 2015

game-o-gami_Immortal_Uktena

Uktena (pronuncia-se “ook-tay-nah”, também escrito Uk’tena, Unktena, Ukatena, Uktin, Uhktena) é uma espécie de serpente/dragão presente na mitologia da tribo Cherokee. Ela é descrita como sendo tão grande quanto um tronco de árvore, possuindo chifres em sua cabeça e uma espécie de pedra brilhante e transparente em sua testa chamada Ulun’suti. Além disso, suas escamas possuem manchas que brilham como se fossem faíscas de fogo.

O Ulun’suti
Poderosa e virtualmente imbatível, uma Uktena só pode ser ferida e/ou morta recebendo um golpe no Ulun’suti, pois este conserva a força vital e os poderes da mesma. Contam as lendas que aquele que obtiver esse diamante terá êxito em tudo na vida, porém não é uma tarefa nem um pouco fácil. Seu brilho é tão forte que cega aquele que olhar para ele. Além disso, seu brilho acaba atraindo aqueles que tentam obtê-la direto para a boca da Uktena, que os devora de imediato. É bem possível que o aventureiro que tenta obter a pedra sequer consiga chegar perto da mesma, pois o hálito de uma Uktena é venenoso, e acaba paralisando e matando seu inimigo à distância.

unktehi_by_angelluzbel-d8iq495    uktena_by_ravenfire5-d5utxws

 

Eventualmente, podem surgir homens capazes de superar todas as dificuldades e finalmente obter uma Ulun’suti, porém manter a posse da pedra é igualmente difícil. A pedra tem o mau hábito de tentar fugir, então é necessário envolvê-la em couros e guardá-la em um lugar bem escuro e inacessível. E de vez em quando é necessário mudá-la de lugar, porque ela “descobre” a saída. O dono de uma Ulun’suti também deverá esfregá-la com sangue de animais regularmente e pelo menos uma vez por ano, deverá molhá-lo com o sangue de algum veado abatido ou outro animal de grande porte, ou ela perderá seus poderes. Quando o seu proprietário morrer, será preciso enterrar a pedra com ele, porque senão ela sairá à noite de onde está, brilhante feito uma estrela,  e buscará pelo túmulo de seu guardião durante sete anos, vagando pelos caminhos feito uma assombração.

Lenda

Os cherokees possuem várias lendas envolvendo Uktenas. Uma delas conta que há muito tempo atrás, o sol ficou com ciúmes de sua irmã, a lua, porque as pessoas da Terra sempre olhavam para ela com expressões bonitas por causa de sua luz suave. O sol também tinha uma filha, que vivia no meio do céu. Todos os dias, o sol parava para visitá-la. Zangado com os humanos porque eles faziam expressões feias (provavelmente por causa de sua luz forte), o sol começou a usar essa oportunidade (da parada para ver sua filha) para produzir tanto calor que as pessoas começaram a morrer de febre.
Em resposta, os humanos buscaram o auxílio dos “homens pequenos”, que na lenda cherokee representavam espíritos mágicos amigáveis que habitavam as florestas. Os homens pequenos decidiram que o sol tinha que morrer, então eles fizeram um homem se tornar uma serpente temível, chamada Uktena. Ela foi à casa da filha do sol, esperar por sua chegada. Mas enquanto aguardava, a filha do sol abriu a porta. Uktena a mordeu acidentalmente, matando-a e quando o sol chegou para ver sua filha, descobriu que ela estava morta e começou a chorar, inundando a Terra com suas lágrimas.

 

Desesperadas para agradar o sol e parar com seu choro, as pessoas da Terra fizeram uma tentativa de resgatar a filha solar morta da terra dos fantasmas, mas não conseguiram. Quando elas voltaram, o sol começou a chorar ainda mais. Para distraí-lo, as pessoas começaram a dançar e ouvir músicas até o sol tornar-se feliz novamente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hidebehind

sábado, Janeiro 3rd, 2015

3edf4bfcbe7d2c9a5c46d62894e10e37    Hidebehind

 

Hidebehind é uma misteriosa criatura noturna pertencente ao folclore americano. Diz a lenda que ele devora seres humanos que vagueiam em florestas durante a noite, e é creditado pelo desaparecimento de vários madeireiros durante o período colonial dos Estados Unidos.

O Hidebehind foi primeiramente citado no “Livro dos Seres Imaginários” de Jorge Luis Borges, que o descreve como um animal grande e poderoso, apesar do fato de que ninguém até hoje foi capaz de ver algum graças a sua excepcional capacidade de camuflagem. Quando sua presença é notada, o hidebehind se esconde de imediato atrás de um objeto (geralmente uma árvore) ou atrás da própria presa, de uma forma que se torna virtualmente impossível de ser visto. Desta forma, ele consegue perseguir presas humanas sem ser notado e as ataca sem chance de defesa. Após matar seu alvo, o Hidebehind o arrasta  para seu covil e o devora.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espantalho

sexta-feira, outubro 15th, 2010

182163_445232728842026_1303235448_n

Espantalhos, também chamados Homens de Palha, são bonecos muito comuns em sítios, fazendas e chácaras, principalmente nos Estados Unidos.  

 

Espantalhos são feitos para assustar aves como os corvos, e roedores de hortas e plantações, sempre colocados eu paus, ou em uma cruz, para imitar a presença humana, afastando os animais indesejados.
Palha, e outros materiais, são usados na confecção do espantalho, é colocado uma roupa velha, recheada com palha e uma cabeça feita de couro ou ate vassoura, depois é colocado um chapéu e ele é posto no meio da plantação.

 

No Halloween, os Espantalhos servem como decoração, são lembrados como figuras macabras, pois sua feição de um humano deformado causa medo em algumas pessoas, antigamente, em contos de historias de terror, os espantalhos sempre apareciam sendo os personagens principais, que geralmente eram trazidos a vida, por magia negra, praticada por Bruxas européias que migraram no século XVII para a America, elas tinham pacto com o demônio e usavam o Espantalho para prejudicar os outros.

 

Uma Lenda Urbana conhecida na America do Norte sobre os Espantalhos é a seguinte:
Dois irmãos chamados Tommy e Johnny viviam em uma fazenda gostavam de pregar peças nas pessoas, contar piadas, e jogar sujo, especialmente com o seu vizinho Slater, que já tinha 54 anos de idade e não gostava de viver de brincadeiras.

 

Certa vez, Johnny e Tommy foram pregar uma peça no vizinho que já estava esperando dentro de casa, quando foram planejar no galpão, Slater saiu com uma espingarda e começou a dar tiros que quase acertaram as cabeças dos rapazes. Eles correram e se esconderam em um barracão, chorando, um perguntou ao outro se conseguiriam sobreviver, e ouviram mais tiros do senhor Slater, que estava gritando para eles nunca mais voltar lá.  

 

Slater saiu com a caminhonete para buscar mais munição para a espingarda, enquanto os irmãos resolveram fazer um espantalho para confundi-lo. Então, eles criaram o espantalho com o trigo um par de sacos velhos dentro do galpão. Eles trabalharam de forma diligente e rapidamente, de modo apressado antes de Slater voltar.  

 

Os irmãos tiveram uma suspresa quando viram que o Espantalho se mexeu, ele estava vivo. Todo o mal que os meninos tinham, foi para o espantalho e todo o mal do Sr. Slater entrou nele também. O espantalho se contraiu, em seguida, começou a mover os braços. Tommy e Johnny ficaram olhando o espantalho que se levantou e disse maldosamente que iria matar os dois, depois disso, pegou uma foice dentro do galpão e começou a cortar dentro do estômago de Tommy muito profundo enfiando a foice varias vezes, o sangue que escorria era vomitado por toda parte. O Espantalho gritou para Johnny que ele seria o próximo, mas ele pegou uma tocha que estava iluminando o galpão e atirou no espantalho que começou a arder em chamas, Johnny olhou para traz e viu um incêndio, depois disso, ele nunca mais atormentou o seu vizinho.
Scarecrow_by_Radojavor-630x472

 

Croatoan

terça-feira, Maio 11th, 2010

Croatoan

 

 

Você já assistiu ao filme “Mistério da Rua 7?” É porque essa lenda vai explicar bastante coisa sobre o filme que não é nenhum pouco auto explicativo.
A lenda de Croatoan começa com as tentativas de se estabelecer uma colônia em terras americanas. Os ingleses precisavam fundar assentamentos se quisessem manter a posse sobre essas terras. Mas pense o quanto isso era difícil, se hoje tudo em matéria de informação e viagens é uma coisa rápida, nesse século as viagens demoravam meses. E para voltar a um determinado local poderia se levar meses, anos, e imagine se houvesse uma guerra ou piratas atrapalhando.
Os ingleses, para demarcar território, mandaram colonos para o Novo Mundo. Esse primeiro assentamento inglês era composto apenas por homens. Nada de mulheres ou crianças. Eles ficaram lá por algum tempo, mas devido à falta de condições e depois de enfrentar vários invernos rigorosos, eles resolveram voltar para a Inglaterra, abandonando o local. O capitão Francis Drake, que estava passando pelo Novo Mundo, deu uma carona para eles em seu navio.
Mas os ingleses não desistiram. Em 26 de abril de 1587 dois barcos partiram um com colonos e outro com suprimentos. Dessa vez, eles levaram mulheres e crianças porque eles realmente queriam estabelecer uma colônia permanente. Eles chegaram lá e reconstruíram as casas que foram deixadas pelos antigos colonos e que já estavam tomadas pelo mato. Nesse meio tempo, no dia 18 de agosto 1588, nasce à neta do governador, Virginia Dare, a primeira criança filha de colonizadores a nascer em solo americano. Após alguns dias, mais precisamente no dia 27 de agosto 1588, o governador John White voltou à Inglaterra a pedido dos colonos, pois eles queriam que ele intercedesse pela colônia, buscando ajuda e suprimentos. Mesmo relutante, ele partiu. Mas quando chegou à Grã Bretanha eles não pode mais voltar, os ingleses tinham sido atacados pela “Armada Invencível” do rei Felipe II da Espanha e a guerra impediu qualquer tentativa de voltar ao Novo Mundo.
Alguns anos depois, ele retornou em 1.590, a única coisa que ele encontrou foi à cidade vazia, totalmente tomada pelo mato, coisas espalhadas pelo chão. Roupas, objetos, até mesmo suprimentos largados por todos os cantos. Apenas objetos, nenhuma pessoa. Nem corpos, nem sangue. Nada. Somente uma palavra escrita em um tronco de árvore, “Croatoan”.
O estranho desaparecimento e a palavra Croatoan deram origem a muitas e muitas lendas. No imaginário norte-americano eles foram todos abduzidos ou levados por alguma coisa e com certeza seria uma coisa maligna. Durante o tempo em que eles permaneceram no lugar (antes de John White partir), diz no livro que é constituído por parte da transcrição de White escrito por Richard Hakluyt, que eles ouviram muitas coisas estranha. Durante a noite, vozes, gritos, seres pareciam circular a colônia no meio da escuridão. Alguns trechos conta história, no mínimo, fantásticas sobre alguns períodos em que eles tinham que ficar recolhidos em um aposento das suas residências rezando para que “aquilo” fosse embora e os deixassem em paz. Provavelmente nisso que foi baseado o filme do “Mistério da Rua 7″. Na Carolina do Norte essa lenda dura até hoje.
Sobre a palavra CROATOAN, a principio foi levantado à hipótese de ser um sistema de coordenadas usadas pelos Colonos da época. CRO significaria que eles teriam mudado para 50 milhas dali. Mas o que significaria o resto da palavra? Então surgiu outra hipótese, uma mais sombria. CROATOAN era o nome dado a um dos Demônios Indígenas mais temidos. Falam que os nativos sequer se aproximavam do lugar da construção da colônia por medo da entidade. O nono da segunda temporada de Supernatural retrata a lenda, de forma adaptada. Ainda, CROATOAN era o nome dado pelos colonizadores a uma ilha habitada por índios amigos, próxima do local aonde se encontravam, embora nenhum deles parece que foi para lá. Por falta de explicações, o mistério perpetuou e virou lenda de maldição, que persiste até hoje.
croatoan_by_lennmaster-d4xprie