sŠbado, maio 19, 2018 03:21

Archive for novembro, 2012

Sleipnir

quarta-feira, novembro 21st, 2012

sleipnir

Na mitologia nórdica, Sleipnir é a montaria mágica de Odin. O lendário corcel de oito patas é o ser mais rápido entre os planos. O seu nome significa suave ou aquele que plana no ar. Ele também é associado com as palavras esguio e escorregadio.
O nascimento de Sleipnir
Thor, O Matador de Gigantes, estava longe de Asgard matando gigantes no norte, quando um¬†hrimthurs, disfar√ßado como um humano pedreiro, ofereceu-se para reconstruir a muralha em torno de Asgard em troca do sol, da lua, e da deusa Freya. Os deuses aceitaram, pensando que seria um bom neg√≥cio, uma vez que parte da muralha j√° estava caindo aos peda√ßos. Al√©m disso, o gigante precisaria completar o seu trabalho em apenas seis meses, pois Thor retornaria no final deste prazo e o mataria. O gigante fez somente uma pergunta: se poderia usar o seu garanh√£o (cavalo) cinza,¬†Svadilfari¬†(traduzindo, “escravo“, ou possivelmente “condenado“). Loki rapidamente aceitou o acordo, antes que qualquer outro deus pudesse fazer uma obje√ß√£o. Usando o garanh√£o, o gigante come√ßou a constru√ß√£o da muralha, e receberia o sol, a lua e Freya.

Os deuses, vendo isso, ficaram furiosos com Loki, e disseram que, caso eles perdessem, o torturariam eternamente (o que aconteceu de outra forma). Ent√£o, enquanto Svadilfari estava carregando o √ļltimo tijolo para completar a muralha, Loki transformou-se em uma linda √©gua branca, e atraiu o garanh√£o para longe, irritando o gigante, que come√ßou a destruir a muralha de tanta raiva. Assim, enquanto destru√≠a a muralha, Thor apareceu e esmagou o gigante com o seu martelo Mjolnir. Loki, mais tarde, deu √† luz Sleipnir, a montaria de Odin, que √© descendente do garanh√£o cinza Svadilfari e Loki enquanto “ele” era uma linda √©gua branca.

As Eddas
De acordo com a Edda em prosa(manual islandês de poemas, que contém muitas histórias da mitologia nórdica), Loki retornou à Asgard e deu à luz o cavalo de oito patas para Odin, dizendo a ele que o cavalo era o mais ágil na Terra e levaria Odin sobre o mar, através dos céus e até à terra dos mortos. De acordo com Sigrdrífumál na Edda poética, Sleipnir possuía runas esculpidas em seus dentes.
Origem e interpretação
Foi sugerido que Sleipnir, por ter oito patas, seria a simbologia de quatro homens carregando um caix√£o, pois ele podia levar o seu cavaleiro at√© o mundo dos mortos. H√° tamb√©m a hip√≥tese de que se refere a um cavalo real que possu√≠a tr√™s patas, uma manifesta√ß√£o gen√©tica chamada polidactilia que, ocasionalmente, ocorre nas patas posteriores ou anteriores de um cavalo. Tal anomalia, geralmente, n√£o representa um risco ao animal. Apesar de rara, ela j√° foi vista em um cavalo que J√ļlio C√©sar montou em diversas batalhas, refor√ßando esta teoria no mito.
Outras idéias:
√Āsbyrgi (literalmente, “Forte dos Aesir”) no nordeste da Isl√Ęndia diz-se ter sido criada quando o casco de Sleipnir encostou no ch√£o. Uma est√°tua feita de a√ßo de Sleipnir, √© um dos destaques da cidade Wednesbury (que significa Monte de Odin), localizada na terra m√©dia do Reino Unido.
Formas familiares
O nome de Sleipnir, √†s vezes, √© traduzido como “Sleipner”, especialmente, em trabalhos populares. Essa forma escrita √© uma das mais utilizadas na Escandin√°via.

odin_by_giye

 

Tezcatlipoca

segunda-feira, novembro 5th, 2012

Tezcatlipoca

 

Tezcatlipoca √© um dos tr√™s grandes deuses da mitologia asteca: √© o deus do c√©u noturno, da lua e das estrelas; senhor do fogo e da morte. Uma das figuras mais temidas do pante√£o asteca, criador do mundo, vigilante das consci√™ncias. √Äs vezes √© representado como um jaguar e carrega no peito um espelho atrav√©s do qual podia ver toda a humanidade. √Č conhecido como “O Senhor do Espelho Fumegante”.

As tradu√ß√Ķes para o nome de Tezcatlipoca s√£o bem variadas e, algumas vezes, at√© contradit√≥rias. Apesar de haver uma certa converg√™ncia quanto a tradu√ß√£o literal dos dois principais termos que comp√Ķe o nome do deus (Tezcatl e Poca), especialistas em n√°huatl concordam que as quest√Ķes referentes a esse debate n√£o est√£o fechadas.

Tezcatl √© freq√ľentemente traduzido por refletir ou espelho.

Poca significa fumo, fumaça.

Com a junção dos dois termos, teríamos a tradução mais usual: espelho fumegante.

Muitos estudiosos afirmam que a palavra tletl (luz) estaria localizada entre os dois termos anteriores, formando espelho de luz fumegante, mas essa hipótese não é confirmada.

Alguns especialistas de Tlaxcala apontam para a palavra Pucah, do idioma Otomi, que significa negro, mas a junção de dois idiomas, com o objetivo de compreender a etimologia do nome de um deus, é muito contestada.

Segundo uma lenda mexica, relatada pelo frei Andr√©s de Olmos, √† pedido do Sol, os deuses se auto-sacrificaram no processo de cria√ß√£o do universo. Isso aconteceu em Teotihuacan e provocou um grande desespero nos seres humanos, que passaram a vagar √† procura de seus deuses, chorando e rogando. Num determinado momento, Tezcatlipoca os encontrou e se compadeceu, orientando-os para que preparassem uma festa, com muita m√ļsica e preces em sua honra. Finalmente, os deuses voltaram a se comunicar com seus filhos humanos e desde ent√£o, as preces e a m√ļsica se tornaram elementos fundamentais nos cultos da regi√£o.

Desta forma, Tezcatlipoca é encarado como o deus responsável pela introdução desses elementos, além dos sacrifícios, na religião asteca..

Tezcatlipoca_vs_Quetzalcoatl_by_gureiduson