sŠbado, maio 19, 2018 20:31

Archive for Março, 2009

Homens Lagartos

sábado, Março 28th, 2009

legend_of_lizard_by_alexnegrea-d4nri0h

Em março de 1972, vários moradores de Loveland, Ohio, inclusive dois policiais, todos aterrorizados, disseram ter visto um bípede bizarro com cara de sapo, caixa torácica inclinada, escamas cor de prata e rugas na cabeça, ao invés de cabelos.

 

 

No ver√£o de 1972, no Lago Thetis, Columbia Brit√Ęnica, um homem r√©ptil emergiu da √°gua para expulsar dois rapazes da praia, um dos quais sofreu lacera√ß√Ķes na m√£o, causada por seis pontas afiadas em cima da cabe√ßa do bicho.

 

 

Em agosto de 1955 na cidade de Evansville, Indiana, a Sra. Darwin Johnson lutou com um agressor enquanto nadava no Rio Ohio, que logo fugiu, mas deixou uma palma esverdeada impressa em seu joelho e algumas marcas e arranh√Ķes, que a levaram a buscar socorro m√©dico.

 

 

Os Homens lagartos est√£o presentes em diversas culturas humanas desde o inicio das civiliza√ß√Ķes. Sum√©ria, Chinesa, Japonese, Asteca, Maia, todas fazem men√ß√£o a humanoides com aspecto de lagartos. Como √© imposs√≠vel mesmo para nossa Ci√™ncia moderna, mapear as profundezas dos mares, fica a suspeita que, se caso eles existirem, talvez seja esse o seu habitat.

 

Reptilianos nas civiliza√ß√Ķes antigas:
Em um grande n√ļmero de civiliza√ß√Ķes antigas, existiram manifesta√ß√Ķes de f√© para figuras com as caracter√≠sticas dos homens lagarto. O¬†Quetzalc√≥atl¬†¬†da civiliza√ß√£o Asteca ou o Kukulcan, para os Maias, que em ambos os casos significa¬†‚ÄúSerpente Emplumada‚Ä̬†ou serpente de belas plumas, nos d√° um primeiro ind√≠cio dos r√©pteis como √≠cones. Tamb√©m na cultura eg√≠pcia encontramos com um Deus r√©ptil, ou melhor, conhecido como o Deus crocodilo Sobek a quem √© atribu√≠da √† gra√ßa da fertilidade, a vegeta√ß√£o e a vida humana.

 

No Oriente M√©dio, existem alguns seres repteis que v√£o desde alguns djinn ou ‚Äúdem√īnios‚ÄĚ a drag√Ķes, passando por homens r√©pteis. Esta tradi√ß√£o data de imemor√°veis anos. Num dos livros ap√≥crifos supostamente o elo perdido de Jasher ou yashar √© descrito como uma ra√ßa humana da serpente.

 

Homens répteis na cultura popular Zulu:

 

Na atualidade, existe na √Āfrica a cren√ßa popular de que h√° milhares de anos atr√°s, desceu do c√©u uma ra√ßa de gente cuja fisionomia era similar √† dos homens lagarto. A popula√ß√£o Zulu, da √Āfrica do Sul, transmitiu esta cultura atrav√©s de suas gera√ß√Ķes e ainda na atualidade podemos escutar a hist√≥ria de como estes reptilianos, que podiam mudar sua forma a vontade e tomavam em ocasi√Ķes a forma humana. E em alguns casos, os chefes das tribos casavam suas filhas com esses “extraterrestres”, com o objetivo de tentar uma ra√ßa com poder de reis e chefes de tribo.
Gargoyle_serpentscale
Outras culturas:
Europa:¬†C√©crope I, o m√≠tico primeiro rei de Atenas era meio homem, meio serpente. Ele est√° ilustrado, por exemplo, num friso do Altar de Zeus, em P√©rgamo (atual Bergama, na Turquia). Nestas imagens, algumas ilustram uma gigantomaquia, numa se v√™ o gigante Klyteros com serpentes enormes entre seus p√©s. Aquil√£o era o deus greco-romano do frio vento do Norte, descrito por Paus√Ęnias como um homem alado com cauda de serpente. O antigo culto grego a Gl√≠con idolatrava um deus-serpente que possu√≠a cabe√ßa de homem.
√ćndia:¬†Nas escrituras e lendas indianas, os Naga s√£o seres reptilianos que viviam no subterr√Ęneo e interagiam com seres humanos na superf√≠cie. Em algumas vers√Ķes, estas criaturas teriam vivido num continente no Oceano √ćndico que afundou sob as ondas. Textos indianos tamb√©m se referem a uma ra√ßa de reptilianos chamada ‚ÄúSarpa‚ÄĚ. Os Syrict√¶ da √ćndia foram uma tribo legend√°ria de homens com narinas de serpente no lugar do nariz e pernas serpentinas arqueadas.
√Āsia Oriental:¬†Os chineses, vietnamitas, coreanos e japoneses falam durante toda a sua hist√≥ria de L√≥ng (Yong em coreano, Ryu em japon√™s) ou drag√Ķes, concebidos em ambas as formas f√≠sica e extraf√≠sica, mas raramente ilustrados na forma humanoide, embora possam assumir uma forma humana n√£o reptiliana.
Na China, Cor√©ia e Jap√£o, reinos subaqu√°ticos s√£o citados como sendo onde os reis drag√Ķes e seus descendentes viveram, assim como uma linhagem de humanos descendentes de uma ra√ßa de drag√Ķes. Esta linhagem era frequentemente reivindicada pelos imperadores asi√°ticos que acreditavam ser capazes de mudar da forma humana para a forma de drag√£o conforme desejassem.
No Japão há mitos sobre os Kappa, ou homens-lagartos que vivem próximos aos rios e atacam as pessoas.
Oriente M√©dio:¬†No Oriente M√©dio, seres reptilianos que se transformam de g√™nios para drag√Ķes e homens-serpente s√£o citados desde os tempos antigos. Num dos livros ap√≥crifos, supostamente o livro perdido de Jasher, uma ra√ßa de serpentes √© descrita.
Depoimentos sobre aparecimentos de Seres Répteis:
Existem na rede milhares de matérias sobre o legendário homem rã de Loveland na localidade de Ohio, Estados Unidos no ano 1955. Numerosos casos aconteceram desde aquele avistamento, no entanto, o mais célebre sucessor em anos recentes foi à loucura do homem lagarto que dizem ter aparecido em Bishopville na Carolina do Sul em 1988.
Um homem disse que uma besta reptiliana de sete palmos de altura, de olhos roli√ßos e ap√™ndices de tr√™s dedos perseguiu seu carro atrav√©s de uma estrada rural a 40 milhas por hora. Um grande n√ļmero de outros avistamentos se seguiu, e os oficiais de policia descobriram v√°rias impress√Ķes estranhas na regi√£o. Mas como todo grande enigma, ainda n√£o foi dada a resposta f√°tica ao acontecido.

 

O Espelho

domingo, Março 1st, 2009

botox278-velha-no-espelho_thumb

 

 

1932. Numa casa muito luxuosa, vivia uma família. David e Victoria, o casal, Michael (o médico da família) , o filho de 19 anos e Liz, filha de 14 anos.
Eles acabaram de se mudar, e Liz, uma garota muito vaidosa, escolheu o quarto que tinha um grande espelho na parede, e talhado na madeira do espelho estava: ‚ÄĚ 5 4 1 3 2 0 9 6 7 8 , em apenas 5 anos voc√™ ver√° a diferen√ßa‚ÄĚ
Liz ficou curiosa, mas n√£o deu muita import√Ęncia ao espelho.Ela era uma garota muito vaidosa, vivia comprando cremes e maquiagem. J√° se passaram 1 ano desde a mudan√ßa, era a festa de anivers√°rio de 15 anos de Liz, ela estava super ansiosa desde o come√ßo do m√™s. Passou horas na frente do espelho.
-Liz, minha filha, os convidados est√£o esperando- Disse a sua m√£e.
Liz desceu as escadas, quando as pessoas viram a cara de Liz, estranharam, porque ela parecia muito velha para uma garota de apenas 15 anos. Mas os convidados disfarçaram.
Correu tudo bem na festa, mas Victoria, David e até Michael que não prestava muito atenção na irmã, perceberam que a irmã andara envlhecendo e que passava muito tempo na frente daquele espelho.
Passaram-se quatro anos. No dia seguinte iriam fazer 5 anos que os Walberg moravam na rua 4.
Michael ja tinha 24 anos e uma filha e Liz 19. Uma vez, limpando o por√£o Michael achou um osso que ele deduzira que era humano e junto com o osso, ele achou um papel:
‚ÄĚ 4- voc√™ 9- vaidade 1-sempre 6- demais 2-bonita 0- mais 8-mal 7- faz
Em apenas 5 anos voc√™ ver√° a dieren√ßa‚ÄĚ
O papel estava junto com umas fotos de uma moça muito bonita até os 14 anos, mas na sua festa de 15 ela estava como sua irmã. Muito velha e na frente do espelho.
Michael correu para o quarto da irmã e descobriu o código: 5 4 1 3 2 0 9 6 7 8 = Aqui você será sempre bonita, mas vaidade demais faz mal. Em apenas 5 anos vc verá a diferença. Michael foi para seu quarto preocupado com o osso e o código, mas não deu muita importancia. Continuou a pensar e resolver dar mais uma olhada no espelho, exatamente quando entrou viu sua irmã, morta, caída no chão com um rosto como o de uma senhora de 90 anos, e no espelho, o reflexo dela e de mais cinco garotas e garotos, todos aparentemente mortos por causa do espelho. Michael logo viu sua foto quase nítida e ficou apavorado, foi a procura de um Médium para desvendar o mistério.
Chamou o senhor Xavier que fez uma sessão espírita e psicografou uma carta do espírito do espelho.
‚ÄĚEu era apenas uma garota feia do col√©gio, a inveja que eu sentia das L√≠deres de torcida, era muita, uma vez vi o garoto que eu tanto amava nos bra√ßos de uma delas. Me tranquei no banheiro e com um peda√ßo do espelho da parede, eu me matei. Agora meu esp√≠rito est√° preso neste espelho, e a unica maneira de me fazer sair daqui, √© trazer aqui para frente desse espelho uma garota feia como eu, para que eu possa dar a ela, toda a beleza e felicidade que eu suguei de minhas v√≠timas. Agora Michael, infelizmente voc√™ √© o pr√≥ximo, me desculpe, n√£o sou eu que escolho minhas v√≠timas‚Ķ √Č a pr√≥pria beleza delas. Seus pais viajaram,mas n√£o voltara√£o mais, me traga a garota e viver√°s..‚ÄĚ
Mas Michael leu a carta tarde demais. Quando a mulher dele chegou em casa com sua filha de apenas 3 anos, encontrou Michael caído no chão.
Na mesma hora em que a polícia levava o corpo de Michael, Rachel, a filha de Michael, olhava para o espelho, como se fosse uma modelo.
Até hoje dizem que o espelho continua na casa sugando a beleza das pessoas, é preciso que uma pessoa feia fique na frente do espelho e receba a beleza, assim o espírito será liberto.